Publicado por: alexandra | janeiro 13, 2008

Para sobreviver à guerra, há de se pensar como alguém já morto

“Eu estou vestida com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem
Tenham mãos e não me toquem, tenham olhos e não me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter para me fazer mal.”

Nasci em dia de São Jorge / Ogum, o guerreiro. Ontem à noite inaugurei este blog e saí com meus amigos. Com quem eu acabo ficando? Coincidentemente com um guerreiro: um tenente da força especial do exército dinamarquês, de férias aqui antes de voltar pro campo de batalha. Ele estava à paisana (sem uniforme), então não tinha como eu saber quando o conheci. Conversamos muito sobre o ofício. Hoje entro na internet e tinha um convite (na verdade era praticamente uma convocação, um chamado às armas) para eu retornar para a comunidade da Nação Amazona da qual eu fazia parte. Muitas sincronicidades ao mesmo tempo. Acho que Ares me chama de volta para o seu lado…


Responses

  1. Silvia diz:
    e qual a diferença entre as boinas?

    Alєxαŋđrα diz:
    bom, o q eu sei é q as boinas sao simbolo das forças especiais, de excelencia, sao os soldados q tem capacidades superiores, versatilidade, agilidade, estrutura organizada, equipamento diferente e tal
    eles podem assumir qualquer missao em qualquer epoca e lugar
    vai ver por isso que ele foi desde segurança da rainha a tenente no afeganistao

    Silvia diz:
    é… são coisas mto diferentes…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: